Designer Julio

Designer Julio

designerjulio@customdigital.com.br

A ONG Casa da Cultura oferece aulas gratuitas de Trança Afro com a professora Liziane toda segunda-feira, em dois horários: 9 e 14h. Mais informações pelos telefones 2751-5825 e 2751-8112 ou na sede da organização - Rua Machado de Assis, 12, Praça da Bandeira, em São João de Meriti. Inscrições abertas e vagas limitadas.

A ONG Casa da Cultura participou hoje (10) da gravação do Programa Tema Livre, apresentado pela jornalista Luciana Valle na Rádio Nacional do Rio de Janeiro - AM 1.130 KHz.  O coordenador de Assuntos Institucionais da ONG, Diestefano sant'Anna, concedeu entrevista falando sobre a Cultura em São João de Meriti, a história da instituição e as atividades desenvolvidas. O programa vai ao ar na próxima semana.

O frei Athaylton Jorge Monteiro Belo, mais conhecido como "Tatá", da Paróquia São João Batista, de São João de Meriti, foi homenageado pela Câmara de Vereadores de Seropédica na segunda-feira (08/06).Ele recebeu uma "Moção de Congratulações e Aplausos" pelo trabalho que realiza em prol da igualdade racial em todo o estado do Rio.

De acordo com frei Tatá, "Receber essa homenagem de Seropédica me deixa muito feliz. A gente acredita que com a ajuda de Deus, de amigos e de homenagens com esta  de que não estamos errados, de que estamos no caminho certo", agradeceu.

Segundo o presidente da Câmara de Seropédica, Waguinho do Emiliano, "O frei tatá é de fundamental importância para o estado do Rio de Janeiro. Quero parabenizar e oferecer essa homenagem por sua importância na igualdade racial no estado", exaltou.

Para o fundador da ONG Casa da Cultura, Jorge Florêncio, "O Tatá é um companheiro de luta pelas causas sociais. Seu nome é referência na igualdade racial do estado do Rio. O trabalho que ele realiza há anos merece ser reconhecido", afirmou.

O frei foi aplaudido de pé por todos os presentes. Mais de cem pessoas compareceram ao ato. Diversos amigos de Meriti foram prestigiar o homenageado.

O Centro de Cultura e Direitos Humanos (CCDH) Marinheiro João Cândido e a ONG Casa da Cultura da Baixada Fluminense inauguraram na sexta-feira (29/05) o Bar do Marinheiro, que servirá de fortalecimento para autossustentabilidade das ações que acontecem no centro.  A renda será revertida para a manutenção de projetos sociais, culturais, artísticos e de direitos humanos.

De acordo com a gerente Geral do CCDH, Letícia Oliveira, “Queremos agradecer aos amigos, amigas e colaboradores que prestigiaram a inauguração do Bar do Marinheiro. Em especial agradecemos a confiança e incentivo do fundador da Casa da Cultura, Jorge Florêncio, e da presidente Maria Adelaide e a presença do vereador Alfredo Queiroz”, declarou.

Atualmente, acontecem aulas de capoeira como resistência da cultura afro. O objetivo é retomar as diversas atividades que centro já desenvolveu como educação ambiental e teatro e abrir para novas atividades que estão em planejamento como exposição sobre a vida de João Cândido e diversos debates na área da garantia de direitos.

O bar tem funcionamento de terça à sábado, a partir das 18h, com petiscos , cerveja, chopp e vinhos. Toda sexta-feira roda de samba com o cantor Waguinho do Vilar. O Bar do Marinheiro fica na rua Clemente Pereira Leandro, esquina com Avenida Comendador Teles, em frente a Praça João Cândido, no bairro Praça da Bandeira , em São João de Meriti.

Veja as imagens

Mais de 500 pessoas participaram do bingo em homenagem ao mês das mães realizado pela Casa da Cultura. O evento aconteceu no CCDH Marinheiro João Cândido, onde o Bar do Marinheiro funcionou para arrecadar verba que serão destinadas aos projetos sociais do local. A felicidade das mulheres e suas famílias foi contagiante. A comunidade da Praça da Bandeira, em São João de Meriti, ficou em festa.



Para o gerente Geral da Casa da Cultura, Vinicius Ribeiro, "Queremos agradecer aos colaboradores que ficaram até tarde para proporcionar esse evento e aos moradores que participaram. Sem a população não teria essa linda festa. Em especial o nosso muito obrigado pela presença e contribuição do fundador Jorge Florêncio. Foi um domingo de confraternização", ressalta.

A Casa da Cultura fica na Rua Machado de Assis, lote 12, quadra 84, na Praça da Bandeira, em São João de Meriti. Mais informações pelos telefones 2751-5825 e 2751-8112.

Clique aqui para ver todas as fotos

Queremos agradecer aos amigos, amigas e colaboradores que prestigiaram a inauguração do Bar do Marinheiro. A renda será revertida para a manutenção de projetos sociais, culturais, artísticos e de direitos humanos do CCDH Marinheiro João Cândido. Nosso bar tem funcionamento de terça à sábado, a partir das 18h. Em especial agradecemos a confiança e incentivo do fundador da Casa da Cultura, Jorge Florêncio, e da presidente Maria Adelaide e a presença do vereador Alfredo Queiroz.

Clique aqui para ver as fotos

A Casa da Cultura recebeu nesta terça-feira (26/05) em sua sede o artista plástico e carnavalesco Wagner Gonçalves. Ele foi recebido pelo fundador da ONG, Jorge Florêncio, e pode conhecer o trabalho social e cultural realizado para cidade de São João de Meriti e toda Baixada Fluminense. Wagner já atuou como em diversas escolas de samba do Rio de Janeiro como Estação Primeira de Mangueira, Unidos do Porto da Pedra, Inocentes de Belford Roxo, Renascer de Jacarepaguá, Acadêmicos do Cubango e Mocidade Independente de Padre Miguel.

A Casa da Cultura convida para a inauguração do Bar do Marinheiro (29/05), às 19h . O espaço fica no CCDH Marinheiro João Cândido. O bar servirá de fortalecimento para autossustentabilidade das ações artísticas e culturais que acontecem no local. Atualmente, acontecem aulas de capoeira como resistência da cultura afro. O objetivo é retomar as diversas atividades que centro já desenvolveu como educação ambiental e teatro e abrir para novas atividades que estão em planejamento como exposição sobre a vida de João Cândido e diversos debates na área da garantia de direitos.

As atividades são feitas em parceria com a ONG Casa da Cultura da Baixada Fluminense, que atua há mais de 25 anos na região, e com o ABM - Conselho de Entidades Populares de São João de Meriti que atua com os movimentos sociais e a organização popular há mais de 30 anos. O CCDH está aberto para o diálogo em desenvolver outros projetos artísticos e culturais com artistas da Baixada.

O Bar do Marinheiro é uma parte do espaço com o objetivo da autossustentabilidade. A proposta é de funcionamento noturno. Serão desenvolvidas noites temáticas, sendo mais uma opção cultural e de lazer na cidade. Toda verba arrecadada será revertida para manutenção das atividades que são oferecidas gratuitamente para a população.

CCDH Marinheiro João Cândido - Rua Clemente Pereira Leandro, esquina com Avenida Comendador Teles, em frente a Praça João Cândido, no bairro Praça da Bandeira, em São João de Meriti.

A ONG Casa da Cultura da Baixada Fluminense participou da abertura oficial da Mostra de Filmes da Austrália. O coquetel de lançamento
aconteceu na terça-feira (19/05) no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), no Centro do Rio, com a vice-cônsul da Austrália, Peta Compton. A mostra que conta com sete filmes começou com a exibição do documentário "I'm a girl", que retrata a vida de meninas vítimas de violência ao redor do mundo. As equipes da ONG Casa da Cultura e da Casa de Cláudia foram recebidas pela vice-cônsul australiana.

Os filmes serão exibidos no CCBB (Rua Primeiro de Março, 66, Centro) até o dia 1º de junho. São duas sessões de cinema gratuito todos os dias: aproveite!

A programação está disponível para download no site da Austrália:http://bit.ly/1JZtG66

Embaixada da Austrália e ONU Mulheres são recebidas na Casa da Cultura em encontro inédito na Baixada Fluminense

Um dia para ficar na história. O encontro "Violências Cotidianas Sofridas pelas Mulheres da Baixada Fluminense - Um olhar sobre a violência doméstica e de gênero" realizado hoje (30/04) pela ONG Casa da Cultura na Baixada marcou o dia Nacional da Mulher e dia da Baixada Fluminense. Pela primeira vez  a Embaixada da Austrália e  a ONU Mulheres estiveram na região. As lideranças trocaram experiências e debateram soluções para o enfrentamento as violências contra as mulheres.

 

Para a presidenta da Casa da Cultura, Maria Adelaide, "Esse encontro é o reconhecimento do trabalho que é feito na cidade, principalmente, na questão de gênero e na defesa das mulheres que são vítimas de violência. Vejo essa visita como uma possibilidade de estreitar uma parceria para cidadania e empoderamento das mulheres. Esse laço internacional é muito importante, pois dá visibilidade ao trabalho e as questões sociais". 

 

De acordo com a delegada da DEAM de São João de Meriti, Dra. Sandra Ornelas, "É com alegria que vejo o trabalho feito pela Casa da Cultura. O Rio é o estado brasileiro que tem os dados mais atualizados, apesar de não refletir a realidade pois os casos são subnotificados. Essa violência começa com o grito, o xingamento. Não consigo pensar em nenhuma mudança que não seja pela Educação. O diálogo e a capacidade de resposta do poder público é fundamental", afirmou.

 

Segundo a representante da ONU Mulheres, Nadine Gasman, "Nós temos uma relação muito grande com o Rio, mas recebemos o convite da Casa da Cultura de conhecermos as mulheres da Baixada. Estamos felizes em participar deste encontro que marca o dia Nacional da Mulher. Não tenho dúvida que o empoderamento da mulher da Baixada é uma questão de resistência e de garantia de direitos. As violências que as mulheres da Baixada sofrem são cotidianas e exigem solução com um trabalho em conjunto. Temos que chamar a atenção do estado para garantia de direitos e enfrentamento às violência", ressaltou.

 

A assessora de Gênero e Raça da Casa da Cultura, Leila, regina, afirma que a Baixada de hoje é um lugar que tem que haver mudanças para melhorar. "Quando falamos na região pensamos na falta de água, luz, comida e transporte de qualidade. Nesse sentido, as mulheres precisam pensar, cada vez mais, o direito à cidade. Com isso, temos que pensar as violências que as mulheres sofrem cotidianamente. Nós enfrentamos o sexismo nas repartições públicas e a violência da falta de representatividade. Qualquer projeto que cuide da violência tem que pensar na especificidade de gênero e raça, pois as mulheres negras ainda estão na base da pirâmide", explicou.

 

O conselheiro e vice-chefe de Missão da Embaixada da Austrália, Quinton Devlin, apresentou o quadro da violência contra mulher australiana e o trabalho de referência que o país realiza neste campo. "Estamos muito felizes de estar conhecendo a região. Viemos na Baixada através do convite da Casa da Cultura para conhecer de perto a realidade das mulheres da região. Esse é um assunto muito sério e precisa de atenção das autoridades. Apresentamos o documentário "I'm a girl", que retrata a realidade de meninas de diversos lugares do mundo. Queremos que as mulheres da Baixada se empoderem e sintam-se à vontade para retratarem as violências sofridas.  Importante o trabalho das organizações que combatem as violências na região", exaltou.

 

O fundador da ONG, Jorge Florêncio, agradeceu a visita e parabenizou o empenho da ONU Mulheres e da Embaixada da Austrália. "Trabalhamos há muitos anos no âmbito das violências cotidianas contra mulher. É de fundamental importância ter a presença aqui na região de duas organizações reconhecidas internacionalmente na área. A união de esforços permite um trabalho com êxito. Temos que agradecer a vinda de vocês e o excelente encontro", falou. 

 

A presidente da Casa de Cláudia - A Morada da Fé, Cláudia Mattos, defendeu uma união entre o poder público e organizações da sociedade civil para o enfrentamento às violências. "O governo precisa investir mais em parcerias com as instituições que tratam desse tipo de violência. Temos que nos unir para criar uma ponte com as mulheres agredidas. temos que ajudá-las a saírem de casa e terem a capacidade de denunciar", defendeu. 

 

Durante o encontro houve apresentação de Capoeira. Diversas tendas com oficinas de turbantes, exibição de cultura afro e indígena foram montadas. Além da exibição do documentário I'm a girl, que conta a realidade de meninas ao redor do mundo. Várias organizações dos movimentos sociais e gestoras públicas participaram do encontro. 

InícioAnt123456PróximoFim
Página 1 de 6